Prefeito de Tavares é preso suspeito de cobrar propina de empresário

Em um desdobramento da Operação República, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e da Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado (Deccor), o prefeito de Tavares, Aílton Suassuna (MDB), foi preso preventivamente na manhã desta sexta-feira (30), acusado pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB) de cobrar propina a um empresário de uma concessionária de veículos.

Prefeito de Tavares é preso suspeito de cobrar propina de empresário

Em um desdobramento da Operação República, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e da Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado (Deccor), o prefeito de Tavares, Aílton Suassuna (MDB), foi preso preventivamente na manhã desta sexta-feira (30), acusado pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB) de cobrar propina a um empresário de uma concessionária de veículos.

O prefeito cobrava a propina como condição para o pagamento pela aquisição de dois veículos efetuados pela administração municipal.

Aílton Suassuna já havia sido indiciado, além do próprio irmão, que é secretário de Finanças de Tavares, Michael Suassuna. Michel, inclusive, chegou a ser preso preventivamente, mas foi solto no último dia 22.

Aílton Suassuna foi preso na sua casa, em Tavares. O gestor será trazido para João Pessoa, onde vai ficar à disposição da Justiça.

Ele será afastado do cargo e o vice-prefeito, Luiz Poeta, deve assumir a Prefeitura de Tavares ainda hoje.

A Operação República foi autorizada pelo desembargador Arnóbio Alves Teodósio, relator do caso no Tribunal de Justiça. Testemunhas ouvidas pela polícia incriminaram o prefeito e o desembargador entendeu que a prisão preventiva também deveria ser decretada contra o gestor.

Denúncia
A denúncia contra o prefeito foi formulada pelo Ministério Público da Paraíba após investigação do Gaeco apontar a cobrança de propina. O proprietário de uma concessionária de veículos denunciou que Aílton Suassuna estava cobrando propina para garantir o pagamento relativo a compra de dois veículos feita junto a concessionária, que havia vencido a licitação realizada pela prefeitura para a venda dos carros.

Parlamento PB

Tags:

Outras Notícias

Datavox: Vitor Hugo lidera disputa para prefeito de Cabedelo com 72,5%
29/01/2019 11:58
Política

Datavox: Vitor Hugo lidera disputa para prefeito de Cabedelo com 72,5%

O PB Agora em parceria com o Instituto Datavox de Pesquisas de Opinião Pública e Estatísticas traz em primeira mão nesta terça-feira (29) os números da pesquisa de intenção de voto para as eleições...

Leia mais
Semob-JP flagra mais de 400 casos de uso do celular ao volante por mês

Comentários