Morre aos 72 anos o músico paraibano Pinto do Acordeon

O músico paraibano Pinto do Acordeon morreu na madrugada desta terça-feira (21), aos 72 anos, vítima de câncer.

blank

O músico paraibano Pinto do Acordeon morreu na madrugada desta terça-feira (21), aos 72 anos, vítima de câncer. Pinto estava internado no Hospital da Beneficência Portuguesa, em São Paulo, onde faleceu.

O corpo do músico será velado em João Pessoa, em um cemitério particular, e será sepultado em Patos. O corpo deve chegar à Paraíba por volta das 16h.

Desde o início do ano Pinto do Acordeon estava internado no hospital em São Paulo para tratamento. Em 2015, o músico teve parte de uma das pernas amputadas após complicações causadas por diabetes. O cantor já havia submetido a uma angioplastia.

Natural de Conceição, Paraíba, onde nasceu em 1942, Pinto foi morar em Patos em meados da década de 1960.

A música lhe gerou interesse desde a infância e ele também era aficionado por acordeão, instrumento em que se tornou um virtuoso, ficou conhecido desde quando fazia parte das apresentações com a trupe de Luiz Gonzaga, o “Rei do Baião”, período em que ganhou notoriedade da música nordestina e que produziu músicas que estão presentes até hoje nos festejos juninos brasileiros.

Gravou seu primeiro LP em 1976 e detém em torno de vinte álbuns gravados em seu nome (entre CDs e LPs), já tendo composto músicas para Elba Ramalho, Genival Lacerda, Dominguinhos, Fagner, Os 3 do Nordeste e Trio Nordestino. Um de seus sucessos, “Neném Mulher”, ficou consagrada na voz de Elba Ramalho e foi tema da telenovela Tieta.

Em 2008, foi para o Festival de Montreux, Suíça, no qual se apresentou junto com outros artistas brasileiros, entre os quais Gilberto Gil, Elba Ramalho, Milton Nascimento, Chico César, Flávio José, Aleijadinho de Pombal, e Trio Tamanduá.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui