Pré-candidato a vereador de João Pessoa, Escurinho, sofre ataques racistas e pornográficos durante live e PSOL denuncia caso à Justiça Eleitoral: ‘Parecia uma cena demoníaca’

"Foi uma uma invasão organizada para tentar nos desorganizar, mas nós saímos muito mais fortes", lamentou.

blank

O músico Jonas Epifânio dos Santos Neto, mais conhecido por Escurinho, foi vítima de ataques racistas durante o pré-lançamento de sua pré-candidatura a vereador da cidade de João Pessoa pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) no último domingo (06). Além de áudios e imagens pornográficas divulgados por um grupo de aproximadamente 20 pessoas, em uma sala virtual, ele ainda foi vítima de ataques racistas. Um boletim de ocorrência foi registrado na Polícia Civil. O PSOL protocolou uma representação a na Justiça Eleitoral.

De acordo com Escurinho, a sala virtual foi aberta por volta das 16h, no Google Meet. “Na nossa inocência e na confiança passamos o link para as pessoas. As pessoas foram chegando e dando boa tarde. Depois de alguns minutos chegaram algumas pessoas fazendo perguntas estranhas do tipo: Você vai falar sobre Bolsonaro? Eu disse que era o pré-lançamento da minha pré-candidatura e não iria falar no nome dele porque nem gosto de falar no nome dele. E mais, vai ter coisas que não agrade a ele. Foi aí que eles foram abrindo os áudios, dizendo coisas pornográficas, racistas. No começo não acreditei, mas depois vai caindo a ficha e parecia uma cena demoníaca”, relatou em entrevista.

blank

Ainda de acordo com o pré-candidato a vereador da Capital pelo PSOL, a maioria das pessoas que tumultuaram a sala virtual utilizaram no perfil o número 17, o mesmo do Partido Social Liberal (PSL) e o qual o presidente Jair Bolsonaro foi eleito. “Foi uma uma invasão organizada para tentar nos desorganizar, mas nós saímos muito mais fortes”, lamentou, acrescentando que cenas como essas já foram registradas no Rio de Janeiro durante outro pré-lançamento de pré-candidatura.

blank

“Quem age assim, subindo na mesa sem ser convidado, é demônio sim. Nesses meus quase 60 anos de idade, eu nunca vi ninguém da esquerda, nem mesmo da direita fazendo esse tipo de aberração. Agora acho que deram liberdade para isso. Eles têm um presidente que permite isso”, afirmou Escurinho, acrescentando que os autores dos ataques racistas começaram a ser identificados. Logo após a equipe do partido ‘printar’ as imagens e copiar os áudios foi encerrada a sala e aberta uma nova onde Escurinho pôde cumprir o objetivo do debate virtual.

O presidente do PSOL na Paraíba, Tárcio Teixeira, que também é pré-candidato, informou que protocolou uma representação na Justiça Eleitoral. “Alerto que no conteúdo existe material pornográfico publicado durante ataque promovido pela ultradireita em atividade de lançamento de um dos nossos pré-candidatos, o companheiro Escurinho. Caso os meios de comunicação resolvam publicar nossa denúncia devem tomar os cuidados necessários com as classificações legais”.

blank
blank
blank
blank
blank

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui