Impugnação de Ricardo pelo MP revela também que ele não votou em Haddad no segundo turno contra Bolsonaro

As reviravoltas em torno da candidatura do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), a Prefeitura de João Pessoa ganhou um novo capítulo surpreendente e revelador na tarde desta quinta-feira (25).

blank

As reviravoltas em torno da candidatura do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), a Prefeitura de João Pessoa ganhou um novo capítulo surpreendente e revelador na tarde desta quinta-feira (25), após o Ministério Público Eleitoral (MPE) solicitar a impugnação do nome dele à disputa.

O argumento do promotor Alexandre Varandas expõe o fato de o socialista não ter votado em Fernando Haddad, candidato petista que concorreu as eleições presidências, disputando o segundo turno com o atual presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido).

O socialista tem o apoio da Executiva Nacional do PT, que indicou Antônio Barbosa (PT) para compor como vice a chapa com Ricardo, mesmo a legenda em João Pessoa já ter apresentado como candidato o deputado estadual Anísio Maia, que teve sua candidatura homologada em convenção no dia 16 setembro, um dia antes da direção nacional do partido declarar apoio ao ex-governador. Fato que ocorreu no dia 17 deste mês.

Varandas argumentou em seu pedido que Ricardo não votou nem justificou seu voto nas última eleição para presidente, o que deixa o ex-governador em falta com as sua obrigações eleitorais não reunindo, assim, a plenitude necessárias para ter seus direitos políticos, mostrando que ele não votou no PT no último pleito.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui