Estudo da UFPB avalia papel da arquitetura na ocupação das praias de João Pessoa

Uma pesquisa realizada pelo Departamento de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) busca entender as relações entre arquitetura e sociedade no contexto das praias de João Pessoa.

blank

Uma pesquisa realizada pelo Departamento de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) busca entender as relações entre arquitetura e sociedade no contexto das praias de João Pessoa. A partir do estudo, os pesquisadores poderão apontar variáveis que podem contribuir ou dificultar a vitalidade urbana e diversidade social nas faixas de areia oceânicas da capital paraibana.

“Queremos colaborar para um melhor entendimento de como as praias em João Pessoa ajudam a construir esferas de socialização e lazer, reforçando ou diluindo separações sociais, e como o construído existente contribui para esses cenários. Também desejamos construir evidências para auxiliar futuras intervenções na orla”, explica Lucy Donegan, professora e coordenadora da pesquisa.

O estudo é uma continuação da dissertação da docente da UFPB, retrabalhada no livro “Qual é a sua praia? Arquitetura e Sociedade em Natal”, onde analisou as relações entre arquitetura e sociedade em três praias urbanas da capital do Rio Grande do Norte, estado vizinho da Paraíba.

No trabalho, Lucy Donegan verificou as características dos conjuntos construídos, densidade, verticalização, usos do solo, edifícios, elementos de infraestrutura como calçadão, iluminação e transporte público e diversidade dos públicos, considerando, principalmente, faixa etária e escolaridade.

De acordo com a pesquisadora da UFPB, dessa vez, os trabalhos se concentrarão nas relações entre conjunto construído e localização das praias urbanas da cidade de João Pessoa e o perfil dos usuários, a fim de entender o papel da arquitetura em atividades de encontro e comportamentos de tolerância nesses espaços públicos.

Inicialmente, o estudo foi realizado por meio de um questionário on-line. Nele, foram feitas perguntas aos usuários da praia, como frequência de visita, horários em que costumam ir à orla e atividades realizadas nas faixas de areia oceânicas da capital paraibana.

“Abordaremos as redes socioespaciais a partir da análise de dados dos questionários e sociodemográficos, com foco nos bairros de moradia dos respondentes e entorno das praias que frequentam, interpretação da temporalidade e de frequência dos visitantes e qualidade das interfaces e da infraestrutura de cada praia”, conta Lucy Donegan.

A professora da UFPB pontua que o estudo também deve colaborar para formação acadêmica dos estudantes de Arquitetura e Urbanismo da UFPB, por meio da construção de metodologias e de técnicas de pesquisa.

“O trabalho científico contribui para análise de dados multivariados e espaciais em plataformas georreferenciadas e criação de mapas temáticos e grafos de relações como parte do processo de iniciação científica dos envolvidos”, afirma a docente.

Os resultados da pesquisa devem ser divulgados até julho de 2021. O estudo tem a colaboração dos estudantes Stela Alves, João Victor Nunes, Natália Vale e Gabriel Madruga.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui