Golpe do Whatsapp: estelionatário é desmascarado por vítima e leva troco

Tudo começou quando o advogado Renato Pontes, na última terça-feira (28), recebeu uma ligação de uma amigo que tentava avisar que seu Whatsapp havia sido invadido, mas não pôde atender.

blank

Um estelionatário tentou aplicar o famoso golpe do Whatsapp, em que acessa a conta de outra pessoa para pedir dinheiro emprestado a amigos dela, mas foi desmascarado pela vítima e levou o troco.

Tudo começou quando o advogado Renato Pontes, na última terça-feira (28), recebeu uma ligação de uma amigo que tentava avisar que seu Whatsapp havia sido invadido, mas não pôde atender. Renato mandou uma mensagem perguntando se o amigo poderia adiantar o assunto por ali mesmo. No entanto, quem respondeu foi o próprio golpista, já solicitando a transferência de R$ 980.

blank

O pedido não causou estranheza, já que Renato havia feito uma transferência de R$ 1500 ao amigo, dias atrás. O que gerou a suspeita foi a forma de escrever:

— Eu achei estranho porque meu amigo nunca me chama pelo nome, só por apelido. Além disso, ele é professor. Desconfiei porque ele não separou o vocativo com vírgula.

O advogado decidiu retornar a ligação e confirmou que estavam tentando aplicar um golpe em ambos. Foi então que surgiu a ideia de descobrir informações do golpista para tentar recuperar a conta.

Ele mandou uma foto da tela o celular, com o aplicativo do banco aberto, pronto para fazer a transferência. Para impelir o estelionatário a fornecer informações como nome completo e CPF, disse que iria entrar em uma reunião em alguns minutos e que precisava dos dados com urgência. Caso contrário, não poderia fazer o crédito naquela hora.

— Fui convencendo que eles conseguiriam a transferência e consegui pegar dados de uma laranja, para quem o dinheiro seria depositado. Mandei uma mensagem para ela com o mesmo texto que tinham me mandado para saber que já tínhamos descoberto tudo. Depois liguei e falei com sua mãe. Em 30 minutos, o Whatsapp foi recuperado. Por isso, acho que também estava envolvida na operação — analisa.

blank

Renato fez boletim de ocorrência na Polícia Civil do Rio Grande do Norte, onde mora, e afirma que irá acompanhar as investigações. Segundo ele, depois de compartilhar o relato no twitter, mais de 20 pessoas procuraram-no para contar que passaram por golpes semelhantes.

Invasão do WhatsApp

A vítima que teve a conta da rede social invadida havia feito uma reclamação publicamente em um perfil de Instagram de uma grande varejista. Os golpistas criaram um perfil fake do Sac da loja, em teoria com a função de ajudar os consumidores, e responderam.

Através de uma conversa privada, conseguiram convencer a vítima a passar o código de autenticação do seu Whatsapp e invadiram a conta.

Para evitar esse problema, recomenda-se a ativar a verificação de duas etapas no aplicativo. Assim, o estelionatário não terá sucesso na invasão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui